23°C 32°C
Manaus, AM

Humberto informa sobre lançamento do Complexo Econômico-Industrial da Saúde

O senador Humberto Costa (PT-PE) destacou, em pronunciamento no Plenário nesta quinta-feira (27), a assinatura do decreto que institui a Estratégia...

27/09/2023 às 15h25
Por: Portal In9 Fonte: Agência Senado
Compartilhe:
 - Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado
- Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

O senador Humberto Costa (PT-PE) destacou, em pronunciamento no Plenário nesta quinta-feira (27), a assinatura do decreto que institui a Estratégia Nacional para o Desenvolvimento do Complexo Econômico-Industrial da Saúde (CEIS), pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O objetivo do CEIS, com seis programas estruturantes, segundo ele, é expandir a produção nacional de itens prioritários para o Sistema Único de Saúde (SUS) e reduzir a dependência externa.

— Serão R$ 42 bilhões investidos na reindustrialização de um dos setores mais importantes da política industrial brasileira, que é a saúde, um segmento que representa 10% do PIB, gera mais de 20 milhões de empregos qualificados, tanto diretos quanto indiretos, responde por 35% de todas as pesquisas nacionais e tem um papel fundamental na inclusão produtiva, no cuidado das pessoas, no combate à fome e à miséria ­ — informou.

Continua após a publicidade

O parlamentar observou que atualmente o Brasil importa US$ 20 bilhões em insumos, medicamentos, vacinas e outros produtos de saúde estrangeiros para abastecer o SUS. Ele explicou o fortalecimento do complexo econômico-industrial da saúde aumentará a autonomia e ampliará o acesso à saúde, combatendo desigualdades e promovendo o desenvolvimento regional e territorial.

— Onze ministérios e outros nove órgãos e instituições públicas estão envolvidos nessa estratégia, que tem R$ 9 bilhões previstos pelo novo PAC até 2026, outros R$ 6 bilhões investidos pelo BNDES e mais R$ 4 bilhões pela Finep. O governo estima, ainda, um aporte de aproximadamente R$ 23 bilhões pela iniciativa privada. Dessa forma, supriremos o SUS com produção e tecnologia locais e estancaremos o crescimento do déficit comercial da saúde, o segundo maior da nossa balança, de 80% em dez anos, pulando de US$ 11 bilhões em 2013 para US$ 20 bilhões nos dias de hoje — disse Humberto, que foi ministro da Saúde de janeiro de2003 a 8 de julho de 2005, no primeiro governo Lula.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Lenium - Criar site de notícias